sexta-feira, 11 de maio de 2012

Fala, Henrique Fontes

Interview: Henrique Fontes, national director of Miss Brasil World


O coordenador do Miss Brasil Mundo, Henrique Fontes, falou para o voy MBOnB, em texto publicad no blog Por Trás da Faixa. Numa longa entrevista, dividida em duas partes, ele falou sobre suas favoritas, sobre mudanças no mundo miss e um pouco mais. Veja algumas declarações:
MBonB: De todas as suas candidatas e de todos os concursos que você as enviou, qual o resultado que achou mais injusto?
Henrique: A Tamara merecia pelo menos o segundo lugar no Miss Mundo 2008. Ela foi impecável em todos os sentidos. A participação dela no Miss Mundo foi irretocável. Aliás, o reinado dela foi irretocável.

MBonB: Qual ou quais as maiores dificuldades que sua organização tem hoje?
Henrique: Produzir concurso de beleza no Brasil não é fácil. Duas grandes dificuldades são a falta de interesse da TV aberta, e consequentemente, de patrocinadores fortes.
MBonB: Qual a miss da Gaeta para o MU ou do José Alonso para o Terra que você considera a melhor?
Do Zé Alonso sem dúvida nenhuma a Priscilla Meirelles, quem por algum motivo não brilhou no Miss Brasil, mas depois conquistou com méritos o título de Miss Terra. Da Gaeta, acho a beleza da Gislaine (2003) imbatível, mas no conjunto, minha favorita é a Rafaela Zanella.

Também falou que se pudesse mudar algo no Miss Mundo, seria o evento final; criticou o uso do termo 'oficial' por "certos organizadores" na faixa de Mis Brasil; falou sobre sua amizade com Boangerges Gaeta e Nayla Micherif, dizendo que eram pessoas muito bacanas e divertidas, mas que mudaram e a amizade, por isso, não existe mais. Além disso desabafou dizendo que começou cheio de ideias, pensando que tudo seria fácil, mas que percebeu que nada no "mundo miss" é assim. Reclamou da concorrência desleal e das fofocas maldosas e mentirosas, mas também diz "vale a pena!" Também elogiu Julia Morley: "Já ofereceram a ela 5 vezez o valor que pagamos pela franquia todos os anos, e a resposta dela foi rápida e direta: “Não. Estamos muito satisfeitos com o trabalho dos nossos atuais licenciados”. Quem a acusa de ser mercenária, não a conhece." Leia a entrevista completa aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Poste aqui seu comentário.